Identificação digital: entenda como ela está cada vez mais presente

6 minutos para ler

Com o aumento significativo do volume de transações digitais, a identificação digital passou a ser peça-chave para garantir a segurança, confiança e validade jurídica no mundo dos negócios.

Isso porque os meios de identificação digital reúnem informações organizadas, atualizadas e codificadas, que reduzem riscos de fraudes, golpes e roubos de dados pessoais.

Esses mecanismos estão cada vez mais presentes em nossa rotina, e no post de hoje vamos explicar como eles funcionam, os seus benefícios e aplicações. Não deixe de ler!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Quais são os benefícios dessa inovação tecnológica?

Em plena era digital, a maior ameaça à cibersegurança ainda é o roubo de identidade. Segundo dados do relatório do Breach Level Index, essa é a causa de 59% das ocorrências de violação de dados registradas em 2016.

De fato, com o crescimento do volume de transações digitais, os cibercrimes aumentaram, mas também cresceu a preocupação com essa situação. Fraude, roubo de identidade e violação de dados pessoais causam transtornos tantos para instituições quanto para pessoas físicas, tornando-se alvo de preocupação de toda a sociedade.

Nesse cenário, a identificação digital ganhou mais importância do que nunca, oferecendo uma série de benefícios, como:

  • segurança e autenticação — o armazenamento digital de dados do usuário reduz o risco de fraude por informações roubadas ou de comprometimento de autenticação;
  • privacidade — controle de que tem acesso aos seus dados;
  • transparência — conhecimento de quando e quais dados são expostos.

Como a tecnologia possibilita a identificação digital?

Com a transformação digital nas empresas, surgem cada vez mais portas aos ciberataques. Felizmente, o avanço tecnológico trouxe a criptografia e outras ferramentas que aumentam a segurança dos dados na internet, como a identificação digital.

A demanda é por um sistema capaz de validar a autoria de uma ação realizada na rede, atentando-se à veracidade da assinatura aplicada ao documento transmitido. Essa validação pode ser feita por meio de códigos de acesso, certificação digital ou atributos físicos, como veremos a seguir.

Senhas e códigos

Um dos métodos mais antigos e difundidos é o uso de senhas de acesso, por exemplo, quando você utiliza um código alfanumérico para acessar um site. Bancos e instituições financeiras costuma usar um sistema múltiplo — autenticação de dois fatores —, em que, além da senha, é necessário um outro número, enviado ao usuário no momento do login por SMS ou Token.

No entanto, a fragilidade desse sistema vem se mostrando evidente, devido às chances de serem visualizadas por terceiros ou invasões diretas aos computadores.

Certificação Digital

Já o certificado digital é composto por chaves criptográficas, armazenadas em um dispositivo — token ou smartcard. Trata-se de uma identificação de pessoas físicas ou jurídicas na web, na qual os dados são validados pela análise presencial dos documentos, garantindo a segurança contra fraudes.

O certificado digital confere autenticidade, integridade e não repúdio à assinatura digital. Dessa maneira, é possível assinar digitalmente diversos tipos de documento, como contratos, procurações, aceites e recibos, com validade jurídica e confiança pública.

Para realizar as suas assinaturas online com segurança, é preciso contar com uma plataforma de gestão de transações digitais, como o Portal de Assinaturas da Certisign, certificadora líder na América Latina.


Identificação por biometria

Esse modelo se baseia no reconhecimento de características físicas do indivíduo, como as digitais, voz, íris, retina e outras. Embora as suas aplicações ainda possam ser amplamente exploradas no futuro, a identificação biométrica já é realidade nos aeroportos, academias, bancos e urnas eletrônicas.

Dos mecanismos de reconhecimento, os escaneamentos de íris e retina são os mais seguros e precisos. Já a identificação por voz e selfie é bastante utilizada para transações feitas com dispositivos móveis.

Como funcionam os documentos de identidade digitais?

Começou a ser implementada em vários serviços públicos brasileiros a mudança dos documentos em papel pelas versões digitais. Já é possível, por exemplo, apresentar o título de eleitor, carteira de motorista, CPF e carteira de trabalho, utilizando o celular.

Além disso, começou a valer, a partir de julho, o Documento Nacional de Identificação (DNI).

Identidade digital (DNI)

Passada a fase de testes iniciais, o aplicativo para gerar o novo documento já está disponível para Android e iOS. Após instalar o programa no celular, é necessário ir a um posto de atendimento do Tribunal Regional Eleitoral para validar o documento digital e fazer o registro biométrico.

Para garantir a segurança e evitar fraudes, o aplicativo exibe um QR Code sempre que o usuário mostrar a identificação, sendo que o código é alterado sempre que o app é aberto. Além disso, uma marca d’água na fotografia mostra o dia e a hora em que o documento foi aberto.

e-CPF

Embora o governo já viabilize a utilização da versão digital desse documento, o certificado digital de pessoa física não é emitido pela Receita Federal.

O e-CPF deve ser solicitado diretamente do site da Autoridade Certificadora escolhida, no qual constam informações sobre custos, documentação e outros esclarecimentos. Para isso, procure sempre o melhor serviço do mercado. A Certisign é líder em certificação digital, garantindo qualidade e segurança.

CNH-e

A CNH digital (ou CNH-e) pode substituir a versão impressa completamente. Para utilizá-la, o usuário deve primeiro se cadastrar no Portal de Serviços do Denatran e depois procurar o Detran estadual para a confirmação dos dados. Feito isso, será gerado um código de ativação para o uso do aplicativo.

Entretanto, o sistema ainda está em implementação, e alguns estados ainda não oferecem o serviço, como é o caso do Rio de Janeiro. Além disso, é necessário que a versão da CNH seja a mais recente, com QR code, emitida a partir de maio de 2018. Caso contrário, é preciso solicitar uma segunda via.

A identificação digital já é realidade tanto no meio corporativo — certificado digital — quanto na vida pessoa dos cidadãos brasileiros — identidade digital. Esse avanço tem papel fundamental na transformação digital, garantindo que novas ferramentas possam ser implementadas com segurança, proporcionando muito mais eficiência para as empresas e conveniência para os usuários.

Após conhecer as novidades sobre identificação digital, você pode se aprofundar mais no assunto, lendo sobre a autenticação digital e a sua importância.

Identificação digital: entenda como ela está cada vez mais presente
5 (100%) 2 Votoss
Posts relacionados

Deixe uma resposta

Share This