bitcoin e assinatura digital bitcoin e assinatura digital

Entenda a relação entre bitcoin e assinatura digital

6 minutos para ler

Bitcoin e assinatura digital têm uma ligação “umbilical” entre si, já que o primeiro não pode ser utilizado sem o segundo. Seria mais ou menos como um talão de cheques, cujas folhas só têm validade se forem assinadas pelo seu proprietário legítimo.

E se você ainda não sabe bem o que é bitcoin, vale a pena saber mais sobre essa criptomoeda. Isso porque no último mês de agosto, o Banco Central do Brasil (BCB), finalmente reconheceu o valor desse ativo, passando, assim, a integrá-lo à contabilidade oficial do Brasil.

Por isso, queremos convidar você para avançar na leitura deste artigo, em que vamos entender melhor como funciona o sistema monetário virtual e por que investir nele. Vamos em frente?

O que são bitcoins?

O sistema financeiro em todo o mundo tem como referência o regime cambial, ou seja, cada país tem sua moeda, que pode valer mais ou menos perante uma outra. Essas moedas, por sua vez, são produzidas por uma instituição do governo, normalmente conhecida como casa da moeda. Junto ao Banco Central, é ela quem regula a emissão do papel-moeda usado para a fabricação de dinheiro, que por sua vez tem um custo.

Agora, imagine se pudéssemos dispensar todo esse enorme aparato, leis e regras. O acesso ao dinheiro seria muito mais simples e, provavelmente, todos ganharíamos, certo? Pois é essa a ideia que torna o bitcoin atraente e cada vez mais valorizado. Trata-se de uma moeda eletrônica, cuja utilização só depende do uso da criptografia de chave pública.

Em outras palavras: é o dinheiro que só pode ser empregado quando duas partes que fazem uma transação possuem as respectivas chaves que liberam o respectivo acesso. Isso porque o bitcoin não tem uma “casa da moeda” ou governo que garanta sua validade. A garantia, nesse caso, é o recurso da criptografia, sistema pelo qual a informação é codificada por uma parte, tendo em vista o uso por outra que deverá decodificá-la.

A vantagem do bitcoin, portanto, é dispensar os intermediários a que estamos acostumados em transações com dinheiro comum. No lugar deles, entra a blockchain, o ambiente virtual no qual o tráfego de dados é protegido e praticamente imune a fraudes e adulteração.

Quem aceita moedas digitais?

Embora o mercado financeiro de bitcoins funcione a todo vapor desde 2008, quando o seu criador, Satoshi Nakamoto, minerou o primeiro bloco da blockchain, seu uso comercial ainda é restrito.

No Brasil, segundo o portal CoinGuys, a lista dos estabelecimentos que aceitam moedas digitais ainda é relativamente reduzida. Algumas dessas lojas e marcas são as descritas abaixo.

Lojas Virtuais

  • Loja Geek Click – Loja Virtual para Nerds;
  • Joox – Loja Virtual de Cartões de Visita Personalizados;
  • Da Lata Head Club – Loja Virtual de Produtos de Tabacaria;
  • GoSkate – Loja Virtual de Skate;
  • Relógios Shop: Loja Virtual de Relógios e Acessórios;
  • RiosGames – Loja Virtual de Games;
  • Piratas – Loja Virtual de Moda Alternativa Masculina e Feminina.

Serviços de Marketing

  • Agência PMweb – Agência de Marketing Digital;
  • CodeTrends – Desenvolvimento Web e Marketing Digital;
  • 55bits – Agência de Marketing Digital;
  • JS Hostel – Hostel em São Paulo;
  • Hostel Giramondo – Hostel em São Paulo;
  • Pousada Luzes de Geribá – Pousada em Búzios.

Informática e TI

  • Dell – Empresa Mundial de Soluções Tecnológicas;
  • Drall – Soluções em Tecnologia;
  • ChunkHost – Hospedagem de Websites;
  • Microsoft – Empresa Mundial de Softwares e Soluções de TI;
  • Hostinger – Hospedagem de Websites;
  • App Ideias – Desenvolvimento de Sites e Aplicativos Mobile;
  • TargetHost – Hospedagem de Websites;
  • HyperBit – Desenvolvimento de Software e Manutenção de Computadores.

Serviços Financeiros

  • PagueComBitcoin – Pagamento de Boletos e Recarga de Celular
  • BTCJam – Empréstimo de Bitcoins

Transações com bitcoins são seguras?

Por não ser uma moeda comum, sujeita aos protocolos das instituições financeiras normais, o bitcoin deve existir em um meio digital à parte. É por isso que, junto a essa moeda, foi criado o blockchain, do qual falaremos com mais detalhes mais à frente.

Agora, basta você saber que a segurança nas transações com criptomoedas é garantida justamente por esse ambiente virtual, desenvolvido inicialmente para transações com bitcoins.

Qual o papel da assinatura digital?

Sendo uma criptomoeda, o bitcoin exige para sua utilização a apresentação de uma assinatura digital que valide a transação. Cada bitcoin e assinatura digital fazem parte do imenso banco de dados da blockchain, na qual é impossível alterar os códigos de programação.

Isso torna as operações financeiras com moedas digitais muito mais seguras e quase à prova de fraude. Como se trata de um sistema regulado por uma inteligência artificial, vícios e desvios são praticamente eliminados. As assinaturas são únicas e, por isso, garantem a veracidade das informações, desde que sejam confirmadas entre o dispositivo em que está sendo feita a transação e a blockchain.

O que é a blockchain?

Ao instituir o bitcoin, Satoshi Nakamoto — cujo nome real permanece desconhecido — talvez não soubesse que estava criando junto um outro conceito revolucionário. O ambiente blockchain, também conhecido como “o protocolo da confiança”, deu tão certo que hoje é usado até mesmo como recurso para proteção de direitos autorais.

Trata-se de uma nova forma de registro, no qual a segurança nasce da descentralização. Portanto, não há um órgão ou instituição controlando o que se faz ou não na blockchain. Todos são, ao mesmo tempo, usuários, donos e fiscais desse ambiente virtual, no qual todos os dados são compartilhados e ninguém é dono de nada.

Há até quem chame a blockchain de “livro-razão” em escala global, aludindo ao tradicional livro usado para registros contábeis. A diferença, no caso, está no fato de a blockchain ser pública e não estar sob a responsabilidade de apenas uma pessoa ou grupo.

Em uma tradução livre, blockchain também pode ser definido como uma cadeia de blocos. Esses blocos que, na verdade, são os computadores (nós) de cada usuário em rede, ligam-se uns aos outros, compartilhando protocolos de segurança anteriormente usados. Logo, quem rege a comunicação na blockchain é a própria nuvem, cujos códigos são imutáveis.

Então ficou mais claro para você qual a relação entre bitcoin e assinatura digital? As criptomoedas vieram para ficar, por isso, quanto mais informação sobre o assunto, mais rentáveis e seguras tendem a ser suas transações.

Não deixe o assunto se esgotar por aqui. Compartilhe este artigo em suas redes sociais e mostre seu conhecimento!

Entenda a relação entre bitcoin e assinatura digital
Avalie este post
Posts relacionados

Deixe uma resposta